quarta-feira, 30 de setembro de 2009

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Pomar


Passaredo
Chico Buarque • Francis Hime
Ei, pintassilgo
Oi, pintaroxo
Melro, uirapuru
Ai, chega-e-vira
Engole-ventoSaíra, inhambu
Foge asa-branca
Vai, patativa
Tordo, tuju, tuim
Xô, tié-sangueXô, tié-fogo
Xô, rouxinol sem fim
Some, coleiro
Anda, trigueiro
Te esconde colibri
Voa, macucoVoa, viúva
Utiariti
[...]

Matança
Jatobá
Cipó caboclo tá subindo na virola
Chegou a hora do pinheiro balançar
Sentir o cheiro do mato da imburana
Descansar morrer de sono na sombra da barriguda
De nada vale tanto esforço do meu canto
Pra nosso espanto tanta mata haja vão matar
Tal mata Atlântica e a próxima
Amazônica Arvoredos seculares impossível replantar
Que triste sina teve cedro nosso primo
Desde de menino que eu nem gosto de falar
Depois de tanto sofrimento seu destino
Virou tamborete mesa cadeira balcão de bar
Quem pra acaso ouviu falar da sucupira
Parece até mentira uqe o jacarandá
Antes de virar poltrona porta armário
Mora no dicionário vida eterna secular
[...]
Caviúna, cerejeira, baraúna
Imbuia, pau-d'arco, solva
Juazeiro e jatobá
Gonçalo-alves, paraíba, itaúba
Louro, ipê, paracaúba
Peroba, massaranduba
Carvalho, mogno, canela, imbuzeiro
Catuaba, janaúba, aroeira, araribá
Pau-fero, anjico, amargoso gameleira
Andiroba, copaíba, pau-brasil, jequitibá

Morena Tropicana
Alceu Valença • Vicente Barreto
Da manga rosa
Quero gosto e o sumo
Melão maduro, sapoti juá
Jaboticaba teu olhar noturno
Beijo travoso de umbú cajá...
Pele macia
Ai! carne de cajú
Saliva dôceDôce mel
Mel de uruçú...
[...]

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Hã? Como? Que?


Tem coisas que fazemos que dá vontade de sumir, sair correndo, enterrar a cabeça. Um dos foras mais comuns da atualidade é enviar email por engano. Ai ai ai... conheço histórias terríveis de brigas familiares e demissões. É um constrangimento danado. Essa semana protagonizei uma situação dessa, nada grave, mas por um bom tempo fiquei me sentindo a pior das pessoas.
Outra coisa chata é não lembrar o nome de um conhecido quando encntramos por acaso ou então trocar o nome, as vezes passo muito tempo chamando uma pessoa por um nome e descubro que é outro... fazer o que?

Tem aquelas situações em empresa que são demais. Entra uma pessoa, evidentemente procurando um diretor ou gerente, se vira para toda a ralé que está ali trabalhando e pergunta:
- Não tem ninguém aqui?

Quando tinha uns 15 anos era toda metida a intelectual, lia e via tudo o que passasse pela minha frente. Pois um dos cinemas exibia uma mostra de filmes suecos e lá fui eu toda toda. Um pouco antes do início do filme meu acompanhante pergunta:
- Fê, existe Ingmar Bergman e Ingrid Bergman?
- Claaaaaaaro que nãããã, só existe o Ingmar Bergman, que é o diretor desse filme, é que as pessoas erram a grafia, é sueeeeeeeco!!!
Começa o filme e lá estão os letreiros, imeeensos, sobre a linda fotografia: Ingrid Bergman num filme de Ingmar Bergman.

Outro fora homérico que acabou rendendo boas risadas aconteceu em Barcelona. Estava lá com minha família e fomos convidados para um jantar na casa de uma amiga de Fortaleza que lá estudava. Assim que cheguei minha mãe me apresentou a um senhor elegante e um pouco afetado, camisa de seda, correntes de ouro... Esse é o Lúcio, entendi ele dizer que era brasileiro e soltei uma risada, meio óbvia (impossível não sermos brasileiros falando um autentico português com sotaque cearense com a maior desenvoltura) seguida do comentário:
- Você é brasileiro? Eu também sou brasileira. hahahahahaha
Um pouco depois minha mãe me puxa e diz, Fernanda, é o Lúcio Brasileiro! funhénhénhééé...
Lúcio Brasileiro era um colunista social todo badalado de Fortaleza. Foi uma esnobada e tanto!

Pior foi sábado quando um casal de amigos, muito queridos por sinal, Le e Le se mandaram para o Centro Cultural do Banco do Brasil, centro de São Paulo, com passos firmes entraram no prédio e se dirigiram ao andar da mostra de Marc Chagal. Chegando lá um moça os olhou com um ar superior e disse:
- Pois não?
- Sem titubear a Le respondeu: viemos para a exposicão! (que dãããrd)
- Só abre terça-feira, estamos montando!

Uma vez um senhor foi instalar umas cortinas na casa da minha mãe, mais precisamente em seu escritório. Chegando lá ele ficou interessado em saber porque tantos livros e até um computador. Perguntou algumas coisas até que minha mãe falou que era professora.
- Aah, a senhora é professora de colégio, né?
- Não, sou professora universitária, respondeu minha mãe com uma certa simplicidade.
Ele arregalou os olhos e disse:
- Sério, de F-A-C-U-L-D-A-A-A-D-E? Puuuuxa, não parece.
Minha mãe, com toda calma riu e falou, é eu entendo, as pessoas acham que na academia os professores são mais formais, né?
- Nãão, não é bem isso... é que a senhora não tem cara de ser tão inteligente!!!

Notícia nietzcheana

Neste final de semana o roubo da coleção de serigrafias da série Atletas assinadas por Andy Warhol ocupou uma parte dos noticiários sobretudo pela recompensa milionária oferecida pelo colecionador de quem as obras foram furtadas.

Ouvi o seguinte em um dos jornais da noite:
- Os ladrões entraram e não levaram NADA da casa, só os quadros.

domingo, 13 de setembro de 2009

Tropicalismo dominical

Domingou
Torquato Neto • Gilberto Gil

Da janela a cidade se ilumina
Como nunca jamais se iluminou
São três horas da tarde, é domingo
Na cidade, no Cristo Redentor - ê, ê
É domingo no trolley que passa - ê, ê
É domingo na moça e na praça - ê, ê
É domingo, ê, ê, domingou, meu amor
Hoje é dia de feira, é domingo
Quanto custa hoje em dia o feijão
São três horas da tarde, é domingo
Em Ipanema e no meu coração - ê, ê
É domingo no Vietnã - ê, ê
Na Austrália, em Itapuã - ê, ê
É domingo, ê, ê, domingou, meu amor [...]

London London
Caetano Veloso
[...]
Oh Sunday, Monday, Autumn pass by me
And people hurry on so peacefully
A group approaches a policeman
He seems so pleased to please them
It's good at least, to live and I agree
He seems so pleased, at least
And it's so good to live in peace
And Sunday, Monday, years, and I agree
While my eyes go looking for flying saucers in the sky
I choose no face to look at, choose no way
I just happen to be here, and it's ok

Domingo no Parque
Gilberto Gil
O rei da brincadeira
Ê, José!
O rei da confusão
Ê, João!
Um trabalhava na feira
Ê, José!
Outro na construção
Ê, João!...
A semana passada
No fim da semana
João resolveu não brigar
No domingo de tarde
Saiu apressado
E não foi prá Ribeira jogar
Capoeira!
Não foi prá lá
Pra Ribeira, foi namorar...

Tropicália
Caetano Veloso
Sobre a cabeça os aviões
Sob os meus pés os caminhões
Aponta contra os chapadões
Meu nariz
Eu organizo o movimento
Eu oriento o carnaval
Eu inauguro o monumento
No planalto central do país...
Viva a bossa
Sa, sa
Viva a palhoça
Ca, ça, ça, ça...
[...]
Domingo é o fino-da-bossa
Segunda-feira está na fossa
Terça-feira vai à roça
Porém!
O monumento é bem moderno
Não disse nada do modelo
Do meu terno
Que tudo mais vá pro inferno
Meu bem!
Que tudo mais vá pro inferno
Meu bem!...
Viva a banda
Da, da
Carmem Miranda
Da, da, da, da...

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Vozes e cores

video

Acabo de receber um email com este video muito legal. Enquanto assistia lembrei que um dos meus sonhos juvenis era ser cantora. Tinha tudo pra dar certo - adorava interpretar de várias formas minhas canções preferidas e sabia toooooodas as letras de tooooooodas as músicas - se não fosse por um ínfimo detalhe: não ter nenhuma afinação!!! Quando rolava uma roda com cantoria e violão eu tinha que cantar baixinho ou me contentar em ficar soprando as letras para não atrapalhar, a censura era violenta sobre minha voz. Que frustração. Bem, então pensei que poderia ser backing vocal e lá fui eu fazer um teste para o Coral da UFC... vexame total, como diria Caetano fora do tom, sem melodia... fui proibida de ser admitida!!!

E assim, só posso expressar minha (reprimida) arte musical através dos outros, mas saibam que os desafinados também tem coração...

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Banco contestador

Essa garotinha esperta, com seus eternos 6 aninhos e olhar crítico sobre o mundo ganhou um espaço simpático no coração de Buenos Aires, sua terra natal. Seu pai, o desenhista Quino ficou orgulhoso, espero que em breve Susanita, Felipe, Miguelito, Manolito, Guille y Libertad se juntem a ela. Vida longa a Mafalda!!!